sábado, maio 28, 2005

Guantanamo

Escrito por Elise às 6:33 da tarde

3 Comments:

Amiga Elise, quanto mais tenebroso for o crime, mais cuidado deve haver no julgamento do acusado. Só assim marcaremos a nossa superioridade civilizacional. Não em meras palavras, mas na prática, no concreto, no custo e na superação da dor. Mas sempre na dor. Porque só os fortes resistem e superam a dor. A dor do mal que nos fizeram e a dor de não podermos ser suficientemente "humanos" para reagir no momento, na mera sequência e medida dos nossos instintos.

Creio que o seu reparo não respeita tanto aos presos de Guantanamo enquanto "arguidos", mas enquanto potenciais fornecedores de informação relevante.
Aí estou de acordo consigo: os suspeitos de terrorismo bem podem levar umas lambadas para se lembrarem onde colocaram a dinamite, que isso não me faz perder o sono.

Infelizmente Guantanamo misturou as duas situações, o que se revela criticável. Não pode ser como acusados ou como condenados que os presos-terroristas podem ou devem ser fisica e psicologicamente violentados. Mas para indicarem o paradeiro do Bin Laden, até eu lá vou dar uma estaladinha.
Anonymous carneiro, at maio 30, 2005 11:05 da manhã  
"Creio que o seu reparo não respeita tanto aos presos de Guantanamo enquanto "arguidos", mas enquanto potenciais fornecedores de informação relevante."

Sim amigo Carneiro, é isso mesmo que quero transmitir. Informação sobre Bin Laden, ZArqawi, potenciais atentados,etc, etc-

Mas não dúvido que estejam muitos inocentes presos em Guantanamo. Não dúvido.
Blogger Elise, at maio 30, 2005 11:37 da manhã  
Esses que estarão inocentes, só têm que ser bem defendidos. E se estão inocentes de crimes, se forem bem defendidos e se o Tribunal for imparcial e justo, certamente serão absolvidos.

Tenho de acreditar, desesperadamente, nisto que acabo de escrever.

Quando deixar de acreditar, sou eu que começo a colocar bombas.
Anonymous carneiro, at maio 30, 2005 12:23 da tarde  

Add a comment

Links to this post:

Criar uma hiperligação