sexta-feira, junho 24, 2005

Hora do Conto - "Amílcar"

Escrito por Elise às 10:34 da manhã

3 Comments:

Um daqueles contos que pela visão cinico-raivosa que coloca em determinados sectores da sociedade, coloca a sua leitura num patamar angustiante... eu ainda aguentei metade do conto... dou os meus parabéns a quem chegar ao fim...
Blogger O Micróbio, at junho 24, 2005 2:51 da tarde  
A natureza humana nua e crua...
Blogger Elise, at junho 24, 2005 4:02 da tarde  
Cínico, seguramente.
Raivoso? não creio.
Angustiante não sei. A angústia é como o medo, é subjectiva. Ninguém a sente por nós nem ninguém a consegue incutir se não estivermos predeterminados a senti-la.

"Os determinados sectores" em nada são atingidos. Não há dogma, postulado, preceito ou regra que seja atingido, para lá da castidade, a qual como a fidelidade é um dos pretextos universais para qualquer tentativa de humor. Pelo menos para quem o tem.
A ser plenamente válida a crítica, não se poderia contar uma anedota com um protagonista cozinheiro pois passaria a culinária em geral e as gastronomias regionais em particular a serem angustiantemente atingidas.

Concordo que seja fraquito. Mas é inofensivo perante as instituições. Não faz mal a ninguém, ainda menos a "determinados sectores". Quanto muito está em causa uma paródia à moral sexual em muitos e variados sectores, onde os "determinados sectores" só ocupam dois pequenos e insignificantes parágrafos.

Mas muito obrigado pela crítica e por ter aguentado metade.
Anonymous heitor, at junho 24, 2005 4:47 da tarde  

Add a comment

Links to this post:

Criar uma hiperligação