sexta-feira, fevereiro 17, 2006

MSM 101 (republicado)

Escrito por Elise às 3:40 da tarde

11 Comments:

Essa é uma questão muito válida.

A grande obscenidade é o vídeo da decapitação de reféns.
Anonymous carneiro, at fevereiro 16, 2006 6:01 da tarde  
eu ainda estou estupfacta com a facilidade com que por ex. a cnn mostrou essas imagens e vídeos mas uma semana antes mostrou parcialmente um cartoon de maomé por causa das sensibilidades.
safa...
Blogger Elise, at fevereiro 16, 2006 6:27 da tarde  
São ambas com a pequena nota que não incluiste, virem todas do mesmo campo. os terroristas do alzarqawi são os mesmos do bin-laden, que objectivamente sustentam os interesses de bush. as vítimas são sempre as mesmas: inocentes, em bagadad ou madrid, a soldo do terror crimnoso dos homens da c.i.a.. isto não incluindo naturalmente a resistência defensiva de libaneses e palestinianos, porque aí, mesmo que vocês não gostem, trata-se de resistência defensiva ao super bem equipado exército ocupante da entidade sionista...mas isso é outra pasta. convem-vos meter tudo no mesmo saco. mas não é. no iraque são xiitas, muçulçanos que morrem, como no paquistão. mas vocês só contam as vítimas dos vossos homens de mão. funciona, enquanto propaganda para uma opinião pública que nem sabe o que é o Islão. continuo, por exemplo, incrédulo, a observar o silêncio generalizado sobre as bolsas fundamentalistas wahhabitas em lisboa, do laranjeiro a odivelas, aglotinadas nos tabligh da mesquita de lisboa, lideradas pelo munir. por exemplo...em tempos um editor do independente começou a escrever e a denunciar isso, as movimentações, e acabou na rua quando chegou ao vakil, condecorado a 10 de junho, ao efisa, à Pt...curioso: todos esses assassinos, os do theo aos de madrid, está nos autos, vieram a lisboa na véspera dos ataques realizados. ninguém fala disso. como ninguém fala do lider tabliqh português ismael lunnat, o homem que manda de facto na mesquita, dessa organização investigada e controlada pelos serviços secretos franceses ou alemães, jantar tranquilamente com o embaixador americano...é. ou com os gigantes interesses imobiliários do representante da palestina, o bisseisso, que deixou de me falar quando tive de denunciar o corrupto do arafat. ou o jornalismo de comentadores e islamólogos que nunca tiveram ou conseguiram prever a vitória do Hamas, ( há dois anos umas jornalistas riram-se quando o previ, num táxi em lisboa ) e agora procuram desesperadas contactos com os islamitas. fede Elise, fede. E, para mim, todos os mortos são iguais. Bjinho.
Blogger spartakus, at fevereiro 17, 2006 5:04 da tarde  
olha. uma opinião. sem tabus ou pré-conceitos. digo-te o que lhes disse a elas nesse dia em que previ a curto prazo a vitória do Hamas: vai a GAZA, VER e SENTIR, OLHAR. Talvez percebas porquê o Hamas. A vitória. O voto da comunidade católica. Bjinho.
Blogger spartakus, at fevereiro 17, 2006 5:14 da tarde  
p.s. 2 - pelo mesmo motivo fui o único em tempo a prever a vitória do presidente iraniano e a entrada e afluência maciça de votos. a participação ía ser ridícula. todos se riram. era, Rafsandjani, esse corrupto pragmático que emanava do topo religioso, do poder, tinha ganho. viu-se. a vitória e o peso dos números nas urnas. mais importante que os estudos é preciso sentir o pulsar dos povos. e estar lá. para ver e sentir.
Blogger spartakus, at fevereiro 17, 2006 5:19 da tarde  
Pois..as sensibilidades.. :|
Blogger Tiago Alves, at fevereiro 17, 2006 6:22 da tarde  
É políticamente correcto considerar-se os árabes muçulmanos de pobres coitados e vítimas do mundo. E os americanos, com quem nunca simpatizei especialmente (e a quem vejo como uma maioria de broncos, ladeados de elites minoritárias), têm que ser vistos como o demónio em pessoa.
Não concordo. Sempre achei que para haver conflito é preciso haver duas partes dispostas a isso.
Blogger Gonçalinho, at fevereiro 17, 2006 6:24 da tarde  
Quase me esquecia: O Walk The Line vale a pena. O Joaquin está muito bem, a Reese também, e o argumento, apesar de preso a uma biografia, está bem feito (há uma deliciosa metáfora lá pelo meio que resume as linhas gerais da história)
Blogger Gonçalinho, at fevereiro 17, 2006 6:28 da tarde  
Gonçalinho: SUBSCREVO TUDO O QUE DIZES. resta saber, e aí reside o ponto chave da minha inquietação, se não os "americanos", é perigoso generalizar, a alimentar o terror que dizem combater. eu penso que são. eles, no mundo árabe têm estado sempre do lado errado. ou a alimentar os terroristas, caso dos tallibãs primeiro, quer a apoiar regimes exportadores do fundamentalismo mais obscuro e tenebroso, arábia saudita ou paquistão, quer apoiando ditaduras execráveis que abrem portas a uma revolta que só encontra respostas no islamismo político, puro e duro. curiosamente deviam ter percebido a revolução no Irão. não aprenderam. até estão a unir toda a nação iraniana, agora. e a repetir a dose no egipto, na jordânia, nos reizinhos do golfo, etc...mas o grande satã sempre precisou de guerras e de arranjar inimigos externos. a pilhagem para sobreviver a isso obriga.
Blogger spartakus, at fevereiro 17, 2006 7:40 da tarde  
tchii, posso responder amanhã? =) boa noite a todos.
Blogger Elise, at fevereiro 17, 2006 8:58 da tarde  
spartakus, explica melhor a tua teoria "a soldo do terror crimnoso dos homens da c.i.a."?
Blogger Elise, at fevereiro 21, 2006 1:08 da tarde  

Add a comment

Links to this post:

Criar uma hiperligação