terça-feira, março 14, 2006

Nós por cá

Escrito por Elise às 10:41 da manhã

8 Comments:

"A responsabilidade da prevenção da delinquência passa sobretudo pela família, pela escola e pelos líderes das comunidades em colaboração com os serviços do Estado."

Elise, isso já existe. O problema é em primeiro lugar, falta de meios e, em 2º
a negligência das autoridades judiciais e de segurança social.

Bom dia.
Anonymous Golfinho, at março 14, 2006 12:54 da tarde  
quando trabalhei com crianças em risco, os pais deixavam as responsabilidades para a escola ou para os serviços prestados pelo Estado. a negligência era flagrante. sem mudanças na família nuclear e mesmo na família alargada, os comportamentos da criança ou jovem adolescente dificilmente mudarão.
Blogger Elise, at março 14, 2006 12:58 da tarde  
Elise, não generalizes, por favor.
O trabalho de campo das assistentes sociais (muitas vezes a mandado dos Juízes dos TM), é muito burocrático, redutor, rege-se por princípios objectivos e não subjectivos.
Quantos formulários tiveste de preencher para efectuar esse trabalho?
E se em vez de olhar para o formalismo que é exigido, começasses a olhar para as pessoas? Não progredias na carreira.
São meios humanos que faltam e uma cultura humana que se deve incutir aos nossos magistrados.
Anonymous Golfinho, at março 14, 2006 4:10 da tarde  
a negligência flagrante que refiro diz respeito aos pais.

e exactamente porque os serviços do estado são burocráticos, a prevenção deve partir das comunidades. não podemos esperar que o Estado seja um agente perfeito de prevenção e intervenção.
Blogger Elise, at março 14, 2006 4:29 da tarde  
Dá um enorme prazer trocar pontos de vista contigo, obrigado :)
Tu e o João Dias do coexistência humorística...

Tks =)
Anonymous Golfinho, at março 14, 2006 6:38 da tarde  
É evidente que há formas de maus tratos que não são físicas, mas do quase nada que sei sobre o assunto, pelo qual não me interessei (porque tento evitar ser refém do sensacionalismo das televisões), a menina morreu vítima de violência, não de sub-valorização pela família/comunidade, nem vítima do aproveitamento da comunicação social.
Blogger Aves Raras, at março 15, 2006 9:50 da manhã  
obrigada golfinho, o sentimento é recíproco, :)

***

aves raras, uma sociedade que não valoriza a criança, que a encara como um prolongamento da família, onde ela não tem voz ou opinião, os abusos físicos não serão raros.
Blogger Elise, at março 15, 2006 10:28 da manhã  
...depois ainda há quem ande preocupado com os terroristas do medio oriente ...esquecedo-se que temos terroristas ao pé da porta e tantas vezes a nossa justiça não lhes faz nada...UM CRIMINOSO NA RUA É UM POTENCIAL ANGARIADOR DE TRABALHO PARA DOIS ADVOGADOS!!!...
FORÇ'AÍ!
js de http://politicatsf.blogs.sapo.pt e http://mprcoiso.blogs.sapo.pt
Anonymous js, at março 15, 2006 2:00 da tarde  

Add a comment

Links to this post:

Criar uma hiperligação